terça-feira, 26 de janeiro de 2010

educação?




conversas inúteis em pontos de onibus,
saudações vazias por simples educação,
que ridícula essa burocracia, ridícula.
não é educação, não, falsidade então.
conversas sem nexos, "de quanto tempo" até "a gente se vê por ai"
e nunca se vê, nem se quer. nem se liga, não há importância.
mentiras sem motivos, palavras vazias.
sorrisos forçados, lembranças antigas já engavetadas.
não sou assim, não sou fútil.
Bom dia, boa tarde e boa noite
é isso que eu me limito a dar.
não acredito que faça alguma diferença em minha vida
perder alguns minutos vazios com você.
não dá.

3 comentários:

Taiany disse...

Vc já sabe que adoro seus poemas e seus textos e até mesmo os coments que deixa no meu blog.
Vc escreve muito bem e tem um dom pra isso!
Obrigada por me dar uma coisa util e legal pra fazer quando entro no pc,ler as coisas que vc posta e perceber que ainda existem pessoas que sabem dar falor as poesias!
bjinhos

CarOl disse...

Adoreii, mesmo achando vc nesse texto um pouco braba!! hehehe
Mas, sei q situações como essa, as quais vc falou, são chatas msm, gostei do seu realismo!!!
bjus
Vou segui-la!!! :P

davi disse...

Rapaz, que rebeldia é essa?
AEUHAEUAEHAEUhea Quer dizer, que se eu te ver na rua, cê só vai me dar bom dia/tarde/noite é?

Sabe... também penso nessas coisas, falar só pra num deixar em branco.
Mas não sei cathé, acho legal sabe... porque é uma tentativa de ser aquilo que se era antes... quem sabe não renasce uma boa amizade? Até um grande amor... Sabe Deus.
acho futilidade uma palavra muito forte. Soa como algo quase ruim.

Complicado