terça-feira, 28 de junho de 2011

Na verdade nao muda, muda, nao.

No dia que ela resolveu mudar,
nada mudou, tudo continuava ali, no mesmissimo lugar.

A mesa era a mesma, os sofas, as pessoas, alguns só resolveram crescer,
tentando amadurecer.

Mas tudo era igual, em um lugar que nao era o mesmo.
O clima era frio, a gente era estranha,
entao nesse momento, nos apegamos ao que encontramos mais parecido com nós.

E quem sabe, o que é mais parecido é aquilo que nao somos.
Buscamos na verdade, tudo aquilo que nao se tem.

Buscamos talvez, tudo aquilo que nunca vamos ser.
Mas seguimos buscando, buscando, buscando.

Quando percebemos, nao paramos de buscar,
o tempo ja passou, sua busca nao terminou.

Eu ja nao busco, deixo que me busquem e sabe? Nao quero nada igual a mim nao.
O igual é chato, o comúm é comúm de mais para mim.

Quero continuar sendo eu mesma, sem buscar ninguém.
Vivendo e abusando da vida.

Tudo sempre vai ser o mesmo, sempre tudo vai estar no mesmo lugar.
Tudo.
A unica coisa que pode mudar aqui, é voce.


p.s: eu sei que voce nao vai mudar... mas vale a pena eu tentar te avisar nao é? xD



4 comentários:

Taiany disse...

oi tem selinho pra vc no blog:
http://clouds-of-cotton.blogspot.com/

Gabi D. disse...

oi flor!
adorei seu blog, estou seguindo =D

segue o meu?

www.gabs-13.blogspot.com

Gabi D. disse...

obrigada flor!
bom final de semana =D

Bjão ;**

Nayara Borato disse...

Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog A Poética de Cibele Camargo. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

http://narroterapia.blogspot.com/